Publicidade

Como analisar a Política Fiscal em planos de governo?

Categoria(s): Eleições 2022
06/04/22 15:52 - Atualizado em 26 de maio de 2022

A Política Fiscal é o conjunto de medidas tomadas pelo governo para administrar e controlar seu orçamento, além de equilibrar suas despesas e receitas.

As próximas Eleições presidenciais começam neste ano de 2022 e ainda não temos planos de governo na mesa.

Os brasileiros estão aguardando esses planos, pois, problemas de longa data no Brasil precisa ser resolvidos, esses desafios devem ser abordados nas propostas dos candidatos.

Publicidade

Neste artigo, iremos te mostrar a importância da Política Fiscal dentro dos planos de governo, além de inserir a relação com a dívida pública, deixando você bem inteirado com o assunto de política e pronto para votar nesse ano de 2022.

Política Fiscal em Planos de Governo: Como analisar?

A Política Fiscal é uma medida que contribui de forma duradoura para o desenvolvimento económico de um país.

É nada mais do que gerir as receitas e despesas de um país, tendo a transparência nisso, a população passa a ter mais confiança no país e é um dos pontos observados pelos investidores estrangeiros.

É preciso analisar cuidadosamente as propostas governamentais, principalmente, aquelas que prometem reduções significativas de impostos ou aumentos excessivos nos gastos públicos.

Publicidade

Todo mundo já sabe que o país deve muito mais do que recebe e as contas públicas estão em péssimo estado, o Brasil gasta mais do que arrecada e isso é fato.

Com isso em mente, qualquer programa de governo deve considerar questões fiscais e alternativas para resolvê-las, isso já ajudaria a equilibrar a carga tributária.

É importante lembrar que aumentos nos gastos exigem mais impostos, o que pode pesar ainda mais sobre a produção e o consumo e produzir resultados negativos para a criação de empregos e crescimento econômico.

Os cortes de impostos podem resultar em serviços públicos de baixa qualidade, serviços esses programas dependem do dinheiro dos contribuintes para sobreviver.

Os políticos muitas vezes enfatizam os benefícios potenciais que essas mudanças de impostos e gastos propostas oferecem, mas é crucial que os eleitores saibam como ele pode avaliar os prós e contras de um corte de impostos.

política fiscal

Relação com a dívida pública

Argumentou-se que não há necessidade de se preocupar com as políticas fiscais, pois essa dívida será paga de acordo com o plano do governo.

Um aumento nos gastos públicos ou uma redução de impostos estimularia a economia e por sua vez provocaria o crescimento econômico das arrecadações, compensando assim o impulso inicial.

Embora essa afirmação seja um conceito lógico, quase sempre não é real, a dívida cresce mais rápido e fica mais difícil de manter.

Também, o governo pode se desesperar e se financiar imprimindo dinheiro, há um aumento significativo da inflação que não favorece o governo central desistir dos bancos, manter os preços estável, taxas de juros mais altas, mais inflação e menos crescimento.

O teto de gastos provavelmente será um tópico de conversa entre os candidatos nas próximas eleições.

Será mantido assim, será adaptado ou será removido?

É importante lembrar que remover o limite de gastos sem ajustar algo em seu lugar não é uma boa opção, é necessário propor uma regra tributária para substituí-la.

Este conceito está diretamente relacionado à gestão das receitas e despesas governamentais e/ou gastos para regular a atividade econômica do país.

Assim como uma corporação, o governo também possui receitas adicionais como impostos de diversas tarifas e previdência social contribuições pagas pelos contribuintes.

Os governos gastam seu dinheiro, entre outras coisas, no pagamento de funcionários, juros da dívida pública, investimentos em infraestrutura, saúde e educação.

É compreensível que o governo insista que deve trabalhar para que a receita supere a despesa para que ele apresente um superávit primário.

Mas, se essa meta não for atingida e a despesa exceder a receita, o país está em situação de déficit primário.

Se durar mais e os valores absolutos forem altos, um déficit primário pode ser bastante problemático no longo prazo, em algum momento o dinheiro pode acabar.

Assim, nenhum investidor vai comprar dívida de um país que provavelmente não a pagará, a menos que essa dívida seja emitida a taxas de juros muito altas, o que também é prejudicial para a economia de um país gerenciar e alcançar um superávit primário.

Portanto, antes de escolher seu candidato, confira a Política Fiscal dos planos de governo de cada um e só, então, decida quem será o seu representante pelos próximos 4 anos.

Acompanhe as últimas publicações do nosso blog e fique sempre informado!

Conteúdos relacionados à este

Como emitir seu primeiro Título de Eleitor Online?

Como emitir seu primeiro Título de Eleitor Online?

Para poder votar e exercer os direitos políticos, a inscrição no alistamento eleitoral, é necessário a emissão do primeiro Título de Eleitor no caso de ser sua primeira emissão. De acordo com o Art. 14 da Constituição Federal, o voto é facultativo somente para jovens...

ler mais
Saiba como regularizar Título de Eleitor Online!

Saiba como regularizar Título de Eleitor Online!

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou o serviço online que facilita regularizar Título de Eleitor Online sem precisar sair de casa. Em princípio, para uma situação eleitoral adequada, não deve haver motivo de anulação ou suspensão de direitos políticos. Em 2022,...

ler mais
Qual a importância do Título de Eleitor?

Qual a importância do Título de Eleitor?

É muito importante que todos os eleitores do Brasil estejam em dia com a justiça eleitoral e tenham em mãos, seja em cédula de papel ou um dos personagens mais importantes nos pleitos realizados em nosso país, o Título de Eleitor. O ano de 2022 é um ano muito...

ler mais

Deixe um comentário aqui