Publicidade

Qual a importância do Título de Eleitor?

Categoria(s): Título de Eleitor
30/04/22 16:41 - Atualizado em 9 de junho de 2022

É muito importante que todos os eleitores do Brasil estejam em dia com a justiça eleitoral e tenham em mãos, seja em cédula de papel ou um dos personagens mais importantes nos pleitos realizados em nosso país, o Título de Eleitor.

O ano de 2022 é um ano muito importante para a política brasileira, pois, neste ano serão eleitas as pessoas que ocuparão os cargos de Deputados Estaduais, Federais, Senadores, Governadores e Presidente da república.

Quer saber um pouco mais sobre esse documento que tem papel fundamental em grandes decisões que são tomadas através do exercício da cidadania.

Publicidade

Continue a leitura e entenda a real importância do Título de Eleitor na vida dos brasileiros.

Título de Eleitor: Conheça um pouco a história do título

O Título de Eleitor é um dos documentos de cidadania por excelência e tem uma longa história, na qual o mesmo se mostra em constante aperfeiçoamento, sendo a porta de entrada para a participação ativa dos brasileiros na vida política do país.

Para votar nas Eleições é necessário ter um título, sendo o voto obrigatório para brasileiros maiores de 18 anos e opcional para aqueles que forem analfabetos e os que têm idade entre 16 e 18 anos, ou tiverem mais de 70 anos.

A falta de título coloca empecilhos para o cidadão na hora de:

Publicidade
  • Encontrar um emprego de carteira assinada
  • Matricular-se em universidade pública
  • Ser aceito na vaga em concurso público
  • Emissão de diversos outros documentos oficiais.

O primeiro documento de identificação do eleitor brasileiro foi o chamado Título de Qualificação, criado pelo Decreto nº 2.675, de 1875, na época do Segundo Império, também conhecido como Lei do Terço, a eleição era realizada pelas províncias.

A lei visava fortalecer a representação das minorias, sendo que a solução encontrada foi limitar o direito de voto de cada eleitor a dois terços do total de cadeiras em disputa.

Nessa época o eleitor tinha que provar que tinha renda mínima anual, era homem e ter no mínimo 25 anos.

O então Deputado Rui Barbosa foi o autor do projeto de lei que tornou o Decreto nº 3.029 de 1881, conhecido como Lei Saraiva, em homenagem a José Antônio Saraiva, presidente do Conselho de Ministros, que pediu à Assembleia Parlamentar um projeto de reforma eleitoral.

Já em 1890, um ano após a proclamação da República, surge o novo modelo de recenseamento eleitoral e o título passa a incluir também o estado, distrito, município, distrito da paz, endereço e outros dados do eleitor.

Na Primeira República, os eleitores tinham que ser homens maiores de 21 anos e alfabetizados.

A ideia do título padronizado surgiu em 1904, no início do século XX, quando o senador Rosa e Silva propôs a criação de uma unidade eleitoral.

Avançando um pouco mais no tempo, o título de 1932 trouxe consigo duas importantes inovações pela primeira vez, continha uma fotografia e uma impressão digital do eleitor.

Com o passar dos anos o título foi sofrendo diversas alterações na maneira de emissão e nos dados coletados para cadastro da população que tinha direito ao voto.

Um dos últimos grande avanços começou em 200 com o recadastramento gradual dos eleitores pela justiça eleitoral para uso do sistema de identificação biométrica.

Também, através das fotografias dos eleitores que são tiradas e colocadas no Cadastro Nacional de Eleitores para recadastramento.

título de eleitor

O papel do eleitor

O cidadão eleitor jamais deve supor ou aceitar a condição de mera participação no processo eleitoral, uma vez que seu cumprimento está longe de ser uma simples tarefa sem importância.

O eleitor tem direito à participação ativa e direta na formação de um governo legítimo e democrático afirmado com precisão e rigor torna-se o discernimento, a tão proclamada norma constitucional, segundo a qual todo poder emana do povo.

O eleitor pode, dotado de documentos ou simples palavras, denunciar os atos ilícitos perante o juiz eleitoral, o membro do Ministério Público e a Polícia, ainda antes do dia das eleiçõe.

Isso para instaurar a ação penal, que pode ser a anulação do registo de candidatura ou do diploma da pessoa que cometeu a infracção, podendo esta ser detida ainda que a conduta constitua infracção penal.

Essas são as informações sobre o Título de Eleitor, lembre-se de manter esse documento atualizado.

Quer saber mais sobre assuntos relacionados à eleição? Continue nos acompanhando pelo blog!

Conteúdos relacionados à este

Como emitir seu primeiro Título de Eleitor Online?

Como emitir seu primeiro Título de Eleitor Online?

Para poder votar e exercer os direitos políticos, a inscrição no alistamento eleitoral, é necessário a emissão do primeiro Título de Eleitor no caso de ser sua primeira emissão. De acordo com o Art. 14 da Constituição Federal, o voto é facultativo somente para jovens...

ler mais
Saiba como regularizar Título de Eleitor Online!

Saiba como regularizar Título de Eleitor Online!

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou o serviço online que facilita regularizar Título de Eleitor Online sem precisar sair de casa. Em princípio, para uma situação eleitoral adequada, não deve haver motivo de anulação ou suspensão de direitos políticos. Em 2022,...

ler mais
Como emitir o seu Título de Eleitor Online?

Como emitir o seu Título de Eleitor Online?

Você sabia que é possível emitir um Título de Eleitor online? Em 2 de outubro de 2022, milhões de brasileiros votarão para os cargos de Presidente da República, Governador, Senador, Deputado Federal, Estadual ou Municipal. A segunda votação, se necessário, está...

ler mais

Deixe um comentário aqui